“É livre a manifestação do pensamento e da expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, sendo vedado o anonimato. (CF 88).”

27 de jul de 2013

Governo brasileiro desconhece a diferença entre saúde e medicina e Papa cobrou responsabilidade social

“Diante de um grupo de políticos, religiosos e artistas, que lotaram neste sábado o Theatro Municipal do Rio, no centro da cidade, o papa Francisco fez um discurso em espanhol em que destacou a importância do 'diálogo construtivo' das lideranças com a sociedade. Ele também cobrou 'responsabilidade social' das autoridades.”

O Descaso


" Se existe vida após a morte, não sei te responder com exatidão. Mas, se é possível existir uma VIDA digna para os milhões de usuários do SUS, no momento em que dele precisar,Posso te garantir que NÃO!"

Essa criança foi submetida à uma colostomia; processo esse doloroso que causa bastante incômodo, para quem se ver na obrigação de fazer uso de uma bolsa plástica, onde seus resíduos fecais irão parar.
Como se não bastasse toda dor e incômodo de sermos submetidos nesse processo doentio; vergonha e constrangimento bem maior, os pacientes do SUS são obrigados a passar, por conta do total descaso que o SUS se encontra.
Quando pensamos em crianças a nossa revolta é bem maior e justificável!
Essa criança em destaque, na FALTA de bolsas de plásticos, que é utilizada na colostomia; foi OBRIGADA a utilizar uma SACOLA de plástico, como as que usamos nas compras de mercados.
Eu queria acreditar, que situações HUMILHANTES e DESUMANAS como essa, são uma exceção na vida dos usuários do SUS; mas sabemos que não é.
Nesse caso uma sacola de plástico, em outra situação pacientes no chão de corredores dos hospitais, grávidas SENTADAS à espera de terem seus filhos e por ai vai!
Uma lista sem fim, de todas as situações humilhantes, que esses contribuintes são obrigados a passarem nas suas vidas!
Algum defensor desse DESGOVERNO poderá afirmar que situações como essas independe de Brasília e da Dilma. Algo tem que ser dito: todo país REFLETE o desmando que tem início por lá!
Se uma gestora é amiga e conivente de CORRUPTOS, esse comportamento se alastra por toda nação!
NINGUÉM RESPEITA!
NINGUÉM FAZ QUESTÃO DE AGIR DENTRO DA LEI!
Se Dilma...Lula..Sarney...podem...TODOS PODEM!!!
Ainda mais grave em sabermos de toda uma rotina de vergonha e de sofrimento que essas pessoas passam DIARIAMENTE!
A PresidANTA e o Ministro DOENTE DAS IDEIAS ainda tem o cinismo de apenas focarem nos Médicos como causa MAIOR de toda essa VERGONHA E ABANDONO???
Essa criança e família TAMBÉM pagarão pela conta hospitalar de todos s CORRUPTOS eleitos!
Pagam para eles, enquanto nas suas vidas de contribuintes, lhes falta o ESSENCIAL!
RESPEITO!!!
REVOLTA E AÇÃO!!
( Raquel Santana )

— com Paulo Ikeda.
https://www.facebook.com/media/set/?set=a.144712112222016.28960.144205978939296&type=1

*****************

Coluna de Carlos Brickmann

Não é questão de nacionalidade: um dos maiores médicos do Brasil foi um ucraniano, Noel Nutels, que levou a saúde pública às áreas indígenas da Amazônia. 
A questão é outra: é que o Governo criou uma enorme polêmica por achar 
que Saúde é Medicina. E não é: Medicina é a última etapa na luta pela Saúde.
A Saúde começa pela engenharia - saneamento básico. 
A água potável e os esgotos reduzem o número de doentes (e derrubam a mortalidade infantil). 
Educação é o segundo passo: quem lava as mãos e cuida da higiene básica, mantém o mosquito da dengue à distância, assegura a limpeza dos animais domésticos e cuida de seu lixo tem mais condições de evitar doenças. 
Condições de vida são importantes: roupas e calçados minimamente adequados, alimentação suficiente, moradia saudável fazem milagres. 
Se uma pessoa educada, com acesso a saneamento básico, alimentação e moradia, devidamente vacinada, mesmo assim fica doente, então cabe à Medicina cumprir seu nobre e insubstituível papel de cura.
Em resumo, não adianta trazer grandes especialistas mundiais sem que a população tenha condições adequadas de vida.

Tem? Não, não tem. 
E não falemos de periferias: Guarulhos, na Grande São Paulo, segunda maior cidade do Estado, 13ª do país, com 1,2 milhão de habitantes, onde está o maior aeroporto internacional do país, não trata nem metade dos esgotos que lança no rio Tietê.
A propósito: sem seringas, termômetro, um medidor de pressão, um medidor de glicemia, alguns remédios, que é que se espera de um médico? 
Milagres? 
(recebi por e-mail)

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Você poderá deixar aqui sua opinião. Após moderação, será publicada.

Contador de caracteres