“É livre a manifestação do pensamento e da expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, sendo vedado o anonimato. (CF 88).”

21 de mai de 2011

PT cobrou Yeda Crusius sobre compra de imóvel, mas blinda Palocci de forma criminosa


Via Jorge Roriz - http://wp.me/p6Q8u-bR6
Aos amigos tudo – Exigir coerência na política é a mais hercúlea das tarefas, quiçá não seja uma empreitada impossível. E a situação piora muito quando a coerência é cobrada dos integrantes do Partido dos Trabalhadores.
Quando Ronaldo Sardenberg, então ministro de Ciência e Tecnologia no governo do tucano Fernando Henrique Cardoso, usou um avião da Força Aérea Brasileira para viajar com a família para o arquipélago de Fernando de Noronha, os petistas patrocinaram uma gritaria de fazer inveja aos oposicionistas de agora.
Não faz muito tempo, a então governadora do Rio Grande do Sul, Yeda Crusius (PSDB), foi acusada de comprar uma casa em Porto Alegre, onde mora com a família, com dinheiro de origem supostamente duvidosa. Crusius explicou que o dinheiro utilizado na compra do referido imóvel era lícito e que toda a transação estava detalhada na sua declaração do Imposto de Renda. Os petistas fizeram um barulho danado e resolveram instalar na Assembleia Legislativa gaúcha a CPI do Detran, pois suspeitava-se que a corrupção no órgão teria financiado o negócio imobiliário.
No caso de Antonio Palocci Filho, acusado de multiplicar de forma meteórica e monumental o seu patrimônio, petistas e integrantes da base aliada defendem o ministro-chefe da Casa Civil, não sem antes afirmarem que o caso é uma página virada. Bobagem, pois o imbróglio que envolve a empresa de consultoria “Projeto” deve render mais alguns longos e acalorados capítulos.
Por ocasião das denúncias, Yeda Crusius disponibilizou os documentos necessários para provar sua inocência, mas no caso de Palocci Filho os palacianos preferem alegar que o ministro goza de foro privilegiado e que nada será divulgado. Ora, se a atividade de Antonio Palocci Filho fora do Parlamento foi legal, como afirmam alguns defensores de plantão, não há motivo algum para esconder a verdade.
clique no texto para ampliar
O grande problema nesse caso é que os ganhos de Palocci por certo não se limitaram aos R$ 6,6 milhões pagos por um apartamento de luxo na região dos Jardins, zona nobre da capital paulista, e muito menos aos R$ 882 mil utilizados na compra de um elegante escritório no mesmo bairro. De igual maneira os ganhos de Antonio Palocci Filho ultrapassaram com largueza os R$ 20 milhões amealhados em 2010, conforme revelou na edição desta sexta-feira (20) o jornal “Folha de S. Paulo” em matéria da jornalista Catia Seabra. O que foi até agora noticiado é apenas a ponta de um enorme e lamacento iceberg, que se trazido à tona poderá escancarar a podridão do poder central, turbinado desde a chegada de Lula da Silva ao Palácio do Planalto.
CASO PALOCCI E O SIILÊNCIO DE DILMA

Via Jorge Roriz
O líder do PPS na Câmara, deputador Rubens Bueno (PR), cobrou neste sábado uma declaração pública da presidente Dilma Rousseff sobre a evolução patrimonial do ministro Antônio Palocci (Casa Civil), e o faturamento multimilionário da consultoria privada dele durante o ano eleitoral de 2010.
“A presidente Dilma parece ser mais leal do que Lula. Vem mantendo silêncio, porém não tomou ainda nenhuma atitude com relação às estripulias de seu companheiro”, afirmou Bueno.
“A nação inteira espera sua declaração pública com relação ao caso”, lembrou o deputado

Crise Palocci: um caso de “Capitalismo de Estado”? Instituto Millenium
Via Jorge Roriz
A primeira grande crise do Governo Dilma passa por uma suspeita de relação inapropriada de benefícios entre o poder público e o privado. O jornal “Folha de S. Paulo” detonou informações que provocaram protestos da oposição, que defende uma CPI,  sobre o crescimento dos bens patrimoniais do ministro Antonio Palocci, cuja empresa de consultoria faturou R$ 20 milhões em 2010, ano que Palocci coordenou a campanha que elegeu Dilma. O jornal também mostra que a empresa WTorre, é beneficiária de uma série de contratos com o poder público, foi uma das clientes de Palocci.
O “Capitalismo de Estado” conceito que explica o uso equivocado do Estado dos bens públicos, para beneficiamento de uma estrita rede privada e para o próprio beneficiamento, é combatido pelos especialistas do Millenium como o economista Rodrigo Constantino no artigo de mesmo nome.
Leia o trechos abaixo ou o artigo na íntegra aqui:

Lula tenta conter crise e segurar Palocci
Via Jorge Roriz
Ex-presidente telefonou do Panamá para Gilberto Carvalho e disse que governo não pode baixar a guarda
Na tentativa de esvaziar a ameaça de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) e barrar a convocação de Palocci no Congresso, o governo já acena com cargos para acalmar a base aliada. A previsão é a de que, a partir da próxima semana, o quebra-cabeça do segundo escalão comece a tomar forma final.
               
Empresa de Palocci faturou R$ 10 mi em apenas dois meses
Jorge Roriz | URL: http://wp.me/p6Q8u-bQH
O faturamento da consultoria do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, no ano passado superou R$ 10 milhões em novembro e dezembro, os dois meses que separaram a eleição da presidente Dilma Rousseff e sua posse, informa reportagem de Catia Seabra publicada na Folha deste sábado 

Empresa de Palocci faturou R$ 20 milhões em ano de eleição
Jorge Roriz / URL: http://wp.me/p6Q8u-bQe
A empresa de consultoria do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, faturou R$ 20 milhões no ano passado, quando ele era deputado federal e atuou como principal coordenador da campanha de Dilma Rousseff à Presidência da República. ( AG. Estado)

Prioridade nacional
“Nós vamos dar toda a força para Palocci enfrentar essa luta. É claro que há desgaste e temos preocupação com os desdobramentos, mas a recomendação é para que ninguém pare de trabalhar”.
Gilberto Carvalho, secretário da Presidência e carregador de malas de Lula e Dilma Rousseff, comunicando ao país que o governo, que deixou de governar há uma semana, vai continuar alheio aos  problemas da nação para que todos os companheiros ou parceiros da base alugada não parem de trabalhar ─ “diuturnamente e noturnamente”, nas palavras da chefe ─ pela salvação de Antonio Palocci.
http://veja.abril.com.br/blog/augusto-nunes/sanatorio-geral/prioridade-nacional/

                
Parceira da Petrobrás fez contrato com Palocci
Via Jorge Roriz| URL: http://wp.me/p6Q8u-bRa
AE - Agência Estado
A construtora WTorre, empresa que mantém negócios com a Petrobras, confirmou ontem, em nota oficial divulgada à imprensa, que contratou os serviços da Projeto Consultoria Econômica e Financeira, do ministro da Casa Civil, Antonio Palocci. "A WTorre contratou a Projeto Consultoria Financeira para prestar consultoria em assuntos corporativos, assim como tem por prática acionar diversas outras empresas de assessoria", disse a empresa. É o primeiro cliente de Palocci que informa publicamente a contratação da Projeto.
A WTorre tem negócios imobiliários com fundos de pensão e Petrobrás. O contrato do grupo com a empresa de Palocci foi revelado ontem pelo jornal Folha de S. Paulo. Na nota divulgada, a WTorre tenta se desvincular de qualquer ligação entre o serviço prestado por Palocci e os contratos com órgãos públicos. "A empresa aluga ou comercializa imóveis para empresas e grandes fundos de investidores dentro das práticas do setor imobiliário", disse a empresa. "Seguindo sua estratégia de gestão transparente, a WTorre divulga trimestralmente suas demonstrações financeiras, apesar de ter capital fechado. A empresa mantém-se à disposição dos órgãos competentes para prestar qualquer esclarecimento que se faça necessário", afirmou.
A construtora negou-se a falar do conteúdo dos serviços da Projeto, nem o valor pago à consultoria de Palocci. No ano passado, a empresa doou R$ 2 milhões para a campanha da presidente Dilma Rousseff (PT) e R$ 300 mil para a do tucano José Serra.
Em 2006, quando disputou e ganhou uma vaga de deputado federal, Antonio Palocci recebeu R$ 119 mil em doações da empresa. Ontem, a WTorre afirmou que "as doações efetuadas foram devidamente registradas e seguiram as normas legais estabelecidas, respeitando rigorosamente a legislação vigente". "Assim como outras empresas, colabora com a candidatura de pessoas com as quais tem afinidade de ideias", disse a construtora.

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Você poderá deixar aqui sua opinião. Após moderação, será publicada.

Contador de caracteres