“É livre a manifestação do pensamento e da expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, sendo vedado o anonimato. (CF 88).”

1 de nov de 2012

A troca: cabeça de Lula por nova identidade


Valério quer ganhar nova identidade (mas não deve conseguir)

Operador do mensalão diz correr risco de morte e enviou ao STF pedido para ser incluído no Programa de Proteção à Testemunha, segundo jornal. Mas estratégia não deve dar certo

Foto da web
São Paulo – Condenado a mais de 40 anos de prisão, o publicitário Marcos Valério decidiu que quer cooperar com a justiça brasileira e revelar bem mais sobre o  mensalão. Mas, para isso, quer ser incluído no programa de Proteção à Testemunha do governo federal, livrando-se assim de penosos anos de cadeia. A informação foi publicada nesta quinta pelo O Estado de S. Paulo . A estratégia, contudo, não tem chance de dar certo, segundo especialistas ouvidos por EXAME.com.Marco Maia considera "lamentável" novo depoimento de Valério
Matéria completa em:


Marco Maia considera "lamentável" novo depoimento de Valério
O presidente da Câmara, Marco Maia, disse, nesta quinta-feira, que é lamentável a tentativa do empresário Marcos Valério de envolver o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no escândalo conhecido como mensalão. Segundo notícia publicada hoje pela imprensa, Valério prestou novo depoimento ao Ministério Público em setembro, mencionando nomes que não foram citados no processo julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF), inclusive o de Lula.
O publicitário, que foi condenado pelo STF a mais de 40 anos de prisão, se propôs a dar mais detalhes em troca da sua inclusão em um programa de proteção a testemunhas. "A expectativa da sociedade brasileira é que essa página do mensalão seja virada com o julgamento do Supremo Tribunal Federal. É lamentável qualquer tentativa de querer retomar o processo de investigação", disse Maia.
Ler mais:

Líder do PT diz que Marcos Valério é uma 'pessoa desqualificada'

O petista disse que o "ex-presidente Lula é uma pessoa honrada, que só fez o bem do Brasil"
O líder do PT na Câmara dos Deputados, Jilmar Tatto, disse nesta quinta-feira (1º) que o empresário Marcos Valério "é uma pessoa desqualificada" para falar sobre o julgamento do mensalão e "não merece um mínimo de crédito".
Ao comentar suposto depoimento de Valério à Procuradoria Geral da República, Tatto afirmou que Valério já foi condenado e "provavelmente estará na cadeia nos próximos meses".
"Portanto, hoje é uma pessoa mais desqualificada para emitir qualquer opinião a respeito dele e dos outros", disse.
"Ele teve oportunidade de dizer as coisas e agora, no momento em que foi condenado, fala qualquer coisa. Não merece e o mínimo de credibilidade", completou.
O petista disse que o "ex-presidente Lula é uma pessoa honrada, que só fez o bem do Brasil".
O deputado descartou que essa seja uma tentativa de Valério de chantagear o PT, porque as relações do partido com ele são amplamente conhecidas.
"O PT pagou um alto preço por ter relação com esse senhor. Esse alto preço agora chega. Já pagamos nossos pecados"
DEPOIMENTO
Reportagem publicada pelo jornal "O Estado de S. Paulo" afirma que Marcos Valério, apontado como o operador do mensalão e condenado pelo STF, prestou novo depoimento ao Ministério Público Federal no fim de setembro e citou o ex-presidente Lula e o ex-ministro Antonio Palocci.
O depoimento feito por Valério é mantido sob sigilo. Segundo o jornal, o empresário mencionou outras remessas de recursos para o exterior, além das que foram feitas para o publicitário Duda Mendonça, que trabalhou na campanha de Lula em 2002 e foi absolvido pelo Supremo no processo do mensalão.
Ainda segundo a reportagem, Valério afirmou que poderá dar mais informações sobre suas acusações se for incluído no programa de proteção à testemunha. O empresário alega ter sido ameaçado de morte.
O pedido de inclusão ao programa de testemunhas foi formalizado com o envio de um fax ao STF no fim de setembro, como revelou a revista "Veja".
Se tiver seu pedido atendido, Valério poderia se livrar da prisão, já que pessoas que fazem parte do programa precisam mudar de nome e vivem em local sigiloso.
Valério foi condenado no STF por formação de quadrilha, corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro. Suas penas do julgamento do mensalão somadas passam de 40 anos. Como a soma supera oito anos, o empresário deve cumprir parte da pena em regime fechado.










Nenhum comentário :

Postar um comentário

Você poderá deixar aqui sua opinião. Após moderação, será publicada.

Contador de caracteres