“É livre a manifestação do pensamento e da expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, sendo vedado o anonimato. (CF 88).”

25 de out de 2012

As mentiras sórdidas de Lula em Salvador

Reinaldo Azevedo
O candidato do DEM à Prefeitura de Salvador, ACM Neto, lidera as pesquisas de intenção de voto contra o petista Nelson Pelegrino. A presidente Dilma Rousseff já foi à cidade e fez uma espécie de chantagem com os eleitores: se o eleito for do seu partido, sugeriu, haverá mais facilidades para trabalhar com o governo federal. É uma ameaça imoral e, até onde alcanço, ilegal também. Ontem, foi a vez de Lula mandar ver na verborreia na capital da Bahia. Leiam o que informa O Globo . Volto em seguida.
*
Na última grande investida para eleger o petista Nelson Pelegrino em Salvador, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva participou de carreata e comício na tarde desta quarta-feira, na região do Subúrbio Ferroviário da capital baiana. Num discurso rápido que não durou mais que cinco minutos, Lula acusou o candidato oponente ACM Neto (DEM) de “plantar uma mentira sórdida” sobre o programa Bolsa Família.
“Ele (ACM Neto) plantou uma mentira sórdida de que foi o avô dele (senador Antônio Carlos Magalhães) que criou o Bolsa Família. A Bolsa Família que eles criaram foi outra, que não repartiram com o povo, que ficou só para uma família. O Bolsa Família que atende aos interesses da maioria do povo certamente vocês me ajudaram a criar neste país”, criticou o ex-presidente.
Em debates e no horário eleitoral gratuito, ACM Neto tem dito ser a favor do Bolsa Família e que a implantação do programa foi viabilizada somente depois da criação do Fundo de Erradicação da Pobreza, iniciativa do então senador Antônio Carlos Magalhães, que foi aprovado no Congresso Nacional em 2001. Assim como fez no comício do primeiro turno, na Praça Castro Alves, Lula lembrou o episódio em que ACM Neto afirmou em discurso na Câmara dos Deputados que seria capaz de dar uma surra no presidente da República , caso descobrisse que estava sendo grampeado.
“O povo pobre deste país não merece um político mentiroso. Eu não vou falar mal de ninguém, mas tem um companheiro aí, que está concorrendo contra o Nelson (Pelegrino), que disse que ia me bater, que ia dar uma surra em mim”, disse Lula, completando: “Primeiro, jamais iria brigar com ele, porque se eu batesse nele seria uma vergonha e se eu apanhasse seria uma vergonha e meia. Então, eu preferi ficar quieto “, completou.
Mesmo fazendo parte da base governista nos planos estadual e federal, o prefeito João Henrique Carneiro (PP) também foi alvo de críticas do ex-presidente. “Nós não temos responsabilidade se o atual prefeito é um fracassado, se não fez as coisas que prometeu. Mas quando a gente tem um prefeito que não fez o que prometeu, a gente não vota no pior, a gente vota no melhor. E melhor é Nelson Pelegrino”, afirmou.
(…)

Voltei
Vamos ver:

1) O partido do prefeito de Salvador, PP, é aliado de Dilma e de Jaques Wagner. Como é impopular, o PT o joga às cobras e não tem nada com isso.
2) Lula, a exemplo de Dilma, faz uma ironia agressiva com a estatura de ACM Neto. Eu, que chamo o petista de “Apedeuta” por causa de sua ignorância orgulhosa, que é uma escolha, não uma determinação da natureza, sou chamado de “agressivo”.

3) ACM Neto não disse que foi seu avô que criou o Bolsa Família. A própria reportagem deixa claro.

4) Finalmente, Lula conta uma mentira quando diz que foi ele quem criou o Bolsa Família. Bem, como é sabido e comprovável, não foi. Então sejamos rigorosos, não?
Aqui está o texto da Medida Provisória de 20 de outubro de 2003, que cria o nome-fantasia “Bolsa-Família”. Leiam:

(…) programa de que trata o caput tem por finalidade a unificação dos procedimentos de gestão e execução das ações de transferência de renda do Governo Federal, especialmente as do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Educação - “Bolsa Escola”, instituído pela Lei n.° 10.219, de 11 de abril de 2001, do Programa Nacional de Acesso à Alimentação - PNAA, criado pela Lei n.° 10.689, de 13 de junho de 2003, do Programa Nacional de Renda Mínima vinculado à Saúde – “Bolsa Alimentação”, instituído pela medida provisória n.° 2.206-1, de 6 de setembro de 2001, do Programa Auxílio-Gás, instituído pelo Decreto n.° 4.102, de 24 de janeiro de 2002, e do Cadastramento Único do Governo Federal, instituído pelo Decreto n.° 3.877, de 24 de julho de 2001.
Como fica claro acima, o Bolsa Família era e é a reunião dos vários programas de bolsa criados, TODOS ELES, no governo FHC.
Lula, já demonstrei aqui, não gostava do que chamou depois de “Bolsa Família”. Era ele quem chamava o programa de “Bolsa Esmola”. Provo também. Segue o filme.









Nenhum comentário :

Postar um comentário

Você poderá deixar aqui sua opinião. Após moderação, será publicada.

Contador de caracteres